Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.4/1230
Título: Dermatite endógena induzida pela ingestão de níquel: a propósito de dois casos clínicos
Outros títulos: Nickel induced endogenous dermatitis: two cases report
Autor: Carrapatoso, I
Loureiro, G
Loureiro, C
Faria, E
Todo-Bom, A
Chieira, C
Palavras-chave: Dermatite de Contacto Alérgica
Níquel
Data: 2004
Editora: Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica
Citação: Rev Port Imunoalergol. 2004; 12 (3):261-70
Resumo: A sensibilização ao níquel representa uma das principais causas de dermatite de contacto alérgica. Um número significativo de doentes apresenta lesões cutâneas, em locais que não estão em contacto directo com este metal. Nos últimos anos a influência do conteúdo em níquel da dieta na evolução da dermatite ao níquel tem merecido particular atenção. Descrevem-se os casos de duas doentes com dermatite de contacto ao níquel em que, apesar da evicção total do contacto com este metal, persistiam lesões de dermatite eczematosa, predominando nas zonas de maior sudação. Com a exclusão da dieta de alimentos com alto teor em níquel observou-se uma redução progressiva da intensidade do eczema, conducente ao desaparecimento total das lesões. As doentes foram, então, submetidas a prova de provocação oral com sulfato de níquel. Na primeira doente estudada observou-se aparecimento de eritema, prurido e reacção eczematosa, generalizados, doze horas após a ingestão de 20 mg de sulfato de níquel. Concomitantemente verificou-se a ocorrência de eritema pruriginoso e pequenas vesículas, no local de aplicação do patch teste ao níquel. No segundo caso a reactivação da dermatite ocorreu seis horas após a ingestão de 10 mg de sulfato de níquel. A manutenção de dieta restritiva em alimentos com alto teor em níquel permitiu o desaparecimento total da dermatite e estabilização clínica que se mantém desde há 6 meses. O diagnóstico de dermatite endógena induzida pela ingestão de níquel foi demonstrado através da realização de prova de provocação oral. A excreção de níquel através do suor parece ser relevante. A redução da ingestão diária de níquel, permitindo a menor concentração deste elemento no suor poderá explicar a melhoria da dermatite, particularmente, nas zonas cutâneas de maior sudação.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.4/1230
Aparece nas colecções:ALER - Artigos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dermatite endógena induzida pela ingestão de níquel. A propósito de dois casos clínicos.pdf1,04 MBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.