Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.4/1145
Título: O Doente Cirrótico na Unidade de Cuidados Intensivos: Avaliação do Prognóstico
Autor: Freire, P
Romãozinho, JM
Ferreira, M
Amaro, P
Leitão, M
Palavras-chave: Índice de Gravidade da Doença
Cirrose Hepática
Unidade de Cuidados Intensivos
Data: 2011
Citação: J Port Gastrenterol. 2001; 18 (2): 73-80
Resumo: INTRODUÇÃO: Os doentes com cirrose hepática admitidos em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) têm um prognóstico particularmente reservado. O prognóstico destes doentes pode ser avaliado com scores gerais (SOFA, APACHE, SAPS) ou com scores específicos de cirrose hepática (MELD, Child-Pugh). OBJECTIVOS: Avaliar o valor prognóstico dos scores gerais (SOFA, APACHE e SAPS) e dos scores específicos de cirrose hepática (MELD e Child-Pugh) em doentes com cirrose hepática admitidos em UCI polivalentes ou em Unidades de Cuidados Intensivos de Gastrenterologia (UCIGE). MATERIAL E MÉTODOS: Os autores fazem uma revisão da literatura sobre a avaliação do prognóstico de doentes com cirrose hepática admitidos em ICUs e relatam também a sua experiência sobre esta temática no contexto duma UCIGE incluindo a análise de 124 internamentos. RESULTADOS: Nos diversos estudos efectuados em doentes com cirrose hepática admitidos em UCI polivalentes, os diferentes scores gerais e específicos revelaram um bom poder discriminativo, ou seja, com uma área sob a curva ROC (AUC) > 0,7. Considerando os seis estudos mais representativos, o valor médio da AUC dos scores SOFA, APACHE II, APACHE III, MELD e Child-Pugh foi 0,86, 0,74, 0,81, 0,79 e 0,77, respectivamente. O estudo de 124 internamentos consecutivos na UCIGE de doentes com cirrose hepática revelou que os doentes que faleceram pertenciam todos à classe C de Child-Pugh e tinham valores médios dos scores SOFA, APACHE II, SAPS II e MELD significativamente superiores aos dos doentes que não faleceram (10,1, 22,0, 47,5 e 30,7 nos que faleceram e 3,5, 13,6, 25,4 e 18,0 nos que não faleceram, respectivamente; p >< 0,05). Conclusões: Tanto os scores gerais como os específicos de cirrose hepática têm valor prognóstico na avaliação do risco de doentes com cirrose hepática internados em UCI polivalentes ou em UCIGE. Nas UCI polivalentes os scores gerais, e em particular o SOFA, apresentam melhor capacidade prognóstica do que os scores específicos de cirrose hepática
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.4/1145
Aparece nas colecções:GAS - Artigos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
o doente cirrótico.pdf219,72 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.